O que você procura?
 

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Listando 217 poesias com a letra A

A Aranha (Fernando Pessoa)
A arca de Noé (Vinícius de Moraes)
A atriz Eugênia Câmara (Castro Alves)
A avó (Olavo Bilac)
A bainha do punhal (Castro Alves)
A Bicicleta (Alexandre ONeill)
A bomba atômica (Vinícius de Moraes)
A boneca (Olavo Bilac)
A borboleta (Olavo Bilac)
A cachorrinha (Vinícius de Moraes)
A canção da vida (Mário Quintana)
A Canção Desesperada (Pablo Neruda)
A Canção do Africano (Castro Alves)
A Canoa Fantástica (Castro Alves)
À capela do Almeida (Castro Alves)
A casa (Vinícius de Moraes)
A Central das Frases (Alexandre ONeill)
A cestinha de costura (Castro Alves)
A Chuva Desce a Ladeira (Fernando Pessoa)
A Ciência (Fernando Pessoa)
A criança (Castro Alves)
A Criança Que Pensa Em Fadas (Fernando Pessoa)
A Criança Que Ri na Rua (Fernando Pessoa)
A Cruz da Estrada (Castro Alves)
A D. Joana (Castro Alves)
A Débil (Cesário Verde)
A Dor (Cruz e Souza)
A Estrada, Como Uma Senhora (Fernando Pessoa)
A Eugênia Câmara (Castro Alves)
A exma. Iaiá Brasília (Castro Alves)
A Falência do Prazer e do Amor (Fernando Pessoa)
A festa da natureza (Patativa do Assaré)
A FLORESTA (Augusto dos Anjos)
A foca (Vinícius de Moraes)
A folha (Carlos Drummond de Andrade)
A FOME E O AMOR (Augusto dos Anjos)
A Forca (Cesário Verde)
A galinha-d'angola (Vinícius de Moraes)
A Grande Esfinge do Egito (Fernando Pessoa)
A Grande Sede (Cruz e Souza)
A harpa (Cruz e Souza)
A História (Gonçalves Dias)
A legião dos Úrias (Vinícius de Moraes)
A Lua (dizem os ingleses) (Fernando Pessoa)
A lucidez perigosa (Clarice Lispector)
A mãe do cativo (Castro Alves)
A Mão Posta Sobre a Mesa (Fernando Pessoa)
A máquina do Tempo (Carlos Drummond de Andrade)
A Maria Candinha (Castro Alves)
A MERETRIZ (Augusto dos Anjos)
À MESA (Augusto dos Anjos)
A Minha Dor (Florbela Espanca)
A minha irmã Adelaide (Castro Alves)
A MINHA PIEDADE (Florbela Espanca)
A mocidade (Olavo Bilac)
A Morte (Vinicius de Moraes)
A Morte (Cruz e Souza)
A Morte Absoluta (Manuel Bandeira)
A morte de madrugada (Vinícius de Moraes)
A morte é que está morta (Mário Quintana)
A Mulher (Florbela Espanca)
A mulher de leão (Vinicius de Moraes)
A mulher que passa (Vinícius de Moraes)
A NAU (Augusto dos Anjos)
A NOITE (Augusto dos Anjos)
A noite na Ilha (Pablo Neruda)
A NOSSA CASA (Florbela Espanca)
A OBSESSÃO DO SANGUE (Augusto dos Anjos)
A órfã na sepultura (Castro Alves)
A palavra (Carlos Pena Filho)
A perfeição (Clarice Lispector)
A Perfeição (Cruz e Souza)
A pombinha da mata (Cecília Meireles)
A porta (Vinícius de Moraes)
A Repartição dos Pães (Clarice Lispector)
A Rosa (Manuel Bandeira)
A rosa branca (Thiago de Mello)
A rosa de Hiroxima (Vinícius de Moraes)
A rua dos cataventos (Mário Quintana)
A solidão e o seu desgaste (Carlos Pena Filho)
A solidão e sua porta (Carlos Pena Filho)
A Tarde (Castro Alves)
A Tempestade (Gonçalves Dias)
A terra dos posseiros de Deus (Patativa do Assaré)
A triste partida (Patativa do Assaré)
A tua voz fala amorosa... (Fernando Pessoa)
A um ausente (Carlos Drummond de Andrade)
A um coração (Castro Alves)
A UM EPILÉTICO (Augusto dos Anjos)
A UM GÉRMEN (Augusto dos Anjos)
A UM MORIBUNDO (Florbela Espanca)
A um passarinho (Vinícius de Moraes)
A um poeta (Olavo Bilac)
A UMA RAPARIGA (Florbela Espanca)
A valsa (Casimiro de Abreu)
A velhice (Olavo Bilac)
A verdadeira arte de viajar (Mário Quintana)
A Verdadeira Arte de Viajar (Mário Quintana)
A vida (Olavo Bilac)
A Vida (Florbela Espanca)
A vida verdadeira (Thiago de Mello)
A violeta (Castro Alves)
A visão dos mortos (Castro Alves)
A você, com amor (Vinícius de Moraes)
A volta da mulher morena (Vinícius de Moraes)
A VOZ DA TÍLIA (Florbela Espanca)
Abat-Jour (Fernando Pessoa)
Abdicação (Fernando Pessoa)
ABERRAÇÃO (Augusto dos Anjos)
ABERRAÇÃO (Augusto dos Anjos)
Abrigo celeste (Cruz e Souza)
Acima de tudo (Cruz e Souza)
Aconteceu-me do Alto do Infinito (Fernando Pessoa)
Adagas Cujas Jóias Velhas Galas (Fernando Pessoa)
Adeus (Castro Alves)
Ah! Os relógios (Mário Quintana)
AH! Querem uma Luz Melhor (Fernando Pessoa)
Ah, a Esta Alma Que Não Arde (Fernando Pessoa)
Ah, Quanta melancolia! (Fernando Pessoa)
Ah, Quanta Vez, na Hora Suave (Fernando Pessoa)
Ai de quem ama (Vinícius de Moraes)
Ai, quem me dera (Vinícius de Moraes)
Ainda que mal (Carlos Drummond de Andrade)
Além da Terra, além do Céu (Carlos Drummond de Andrade)
ALICUTO, pescador; AGRÁRIO, pastor (Luís Vaz de Camões)
Alma errada (Mário Quintana)
Alma fatigada (Cruz e Souza)
Alma mater (Cruz e Souza)
Alma minha gentil, que te partiste (Luís Vaz de Camões)
Alma solitária (Cruz e Souza)
Almas indecisas... (Cruz e Souza)
ALMENO e AGRÁRIO, pastores (Luís Vaz de Camões)
Alquimia (Mário Quintana)
Alucinação (Cruz e Souza)
ALVORECER (Florbela Espanca)
Amar (Desconhecido)
Amar (Carlos Drummond de Andrade)
AMAR! (Florbela Espanca)
Amazonas (Pablo Neruda)
AMBICIOSA (Florbela Espanca)
Ameaçou Chuva (Fernando Pessoa)
América (Castro Alves)
Amiel (Florbela Espanca)
AMIGO (Alexandre ONeill)
Amo-te tanto, meu amor... (Vinícius de Moraes)
Amo-te tanto,meu amor...não cante (Vinicius de Moraes)
Amor (Desconhecido)
AMOR (Clarice Lispector)
Amor Antigo (Carlos Drummond de Andrade)
Amor Distante (Desconhecido)
Amor e medo (Casimiro de Abreu)
Amor é síntese (Mário Quintana)
Amor é um fogo que arde sem se ver (Luís Vaz de Camões)
Amor em paz (Vinícius de Moraes)
Amor que Morre (Florbela Espanca)
Amor, pois que é palavra essencial (Carlos Drummond de Andrade)
Amor, quantos caminhos (Pablo Neruda)
Angela Adonica (Pablo Neruda)
Anima mea (Cruz e Souza)
Anjo (Casimiro de Abreu)
ANSEIO (Augusto dos Anjos)
Anseios (Florbela Espanca)
Ansiedade (Cruz e Souza)
Antífona (Cruz e Souza)
Antítese (Castro Alves)
Antologia (Manuel Bandeira)
Ao coração que sofre (Olavo Bilac)
Ao longo das janelas mortas (Mário Quintana)
AO LUAR (Augusto dos Anjos)
AOS MEUS FILHOS (Augusto dos Anjos)
Aos olhos dele (Florbela Espanca)
Aos poetas clássicos (Patativa do Assaré)
APOCALIPSE (Augusto dos Anjos)
APÓSTROFE À CARNE (Augusto dos Anjos)
Aqui está-se sossegado (Fernando Pessoa)
Aqui onde se espera (Fernando Pessoa)
Arrojos (Cesário Verde)
Arte de amar (Manuel Bandeira)
Arte de amar (Thiago de Mello)
Árvore verde (Fernando Pessoa)
ÁRVORES DO ALENTEJO (Florbela Espanca)
As Artes São Irmãs (Gonçalves Dias)
As borboletas (Vinícius de Moraes)
As Coisas (Mário Quintana)
As dádivas do amantes (Carlos Pena Filho)
As ensinanças da dúvida (Thiago de Mello)
As horas pela alameda (Fernando Pessoa)
As lentas nuvens fazem sono (Fernando Pessoa)
As minhas Ansiedades (Fernando Pessoa)
AS MINHAS MÃOS (Florbela Espanca)
AS MONTANHAS (Augusto dos Anjos)
As sem-razões do amor (Carlos Drummond de Andrade)
Asas abertas (Cruz e Souza)
Áspero amor... (Pablo Neruda)
Aspiração suprema (Cruz e Souza)
Assanhamento (Carlos Drummond de Andrade)
Assim a vida nos afeiçoa (Manuel Bandeira)
Assim seja! (Cruz e Souza)
Assim! (Casimiro de Abreu)
Assovio (Cecília Meireles)
ATENÇÃO AO SÁBADO (Clarice Lispector)
Atitude (Cecília Meireles )
Aurora (Carlos Drummond de Andrade)
Ausência (Carlos Drummond de Andrade)
Ausência (Vinícius de Moraes)
Auto-retrato (Alexandre ONeill)
Autopsicografia (Fernando Pessoa)



 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2019 Amo Poesias www.amopoesias.com