O que você procura?
 
#319 Pesquisa por "" | 36 resultados em 6 páginas, em 0.02743 segundos





O Soneto  ( Cruz e Souza )
Nas formas voluptuosas o soneto Tem fascinante, cálida fragrância E as leves, langues curvas de elegância De extravagante e mórbido esqueleto. A graça nobre e grave do quarteto Recebe a original intolerância, Toda a sutil, secreta extravagância Que transborda terceto por terceto. E como um singular polichinelo ...
Tipo: Poesias


Soneto a duas mãos  ( Alexandre ONeill )
A mão que me sustenta e eu sustento é mão capaz das vinte e cinco linhas e do selado azul de um requerimento ou doutras diligências comesinhas Habituada por secretarias, esperta, decidiu de um grave acento, a vírgulas guindou torpes cedilhas e mastigou papel, seu alimento Contraiu calos, revoltou-se às vezes, c ...
Tipo: Poesias


Soneto  ( Alexandre ONeill )
Sonetos garantidos por dois anos. E é muito já, leitor que mos compraste Para encontrar a alma, que trocaste Por rádios, frigoríficos, enganos Essa tristeza sobre pernas faz-te Temeroso e cruel e tonto e traste. Nem pior nem melhor que outros fulanos, Não vês a Bomba e crês nos marcianos E é para ti que escrev ...
Tipo: Poesias


soneto da mulher inutil  ( Vinicius de Moraes )
De tanta graça e de leveza tanta Que quando sobre mim, como a teu jeito Eu tão de leve sinto-te no peito Que o meu próprio suspiro te levanta. Tu, contra quem me esbato liquefeito Rocha branca! brancura que me espanta Brancos seios azuis, ní­vea garganta Branco pássaro fiel com que me deito. Mulher inútil, quando ...
Tipo: Poesias


Soneto a quatro-mãos  ( Vinícius de Moraes )
Tudo de amor que existe em mim foi dado Tudo que fala em mim de amor foi dito Do nada em mim o amor fez o infinito Que por muito tornou-me escravizado. Tão pródigo de amor fiquei coitado Tão fácil para amar fiquei proscrito Cada voto que fiz ergueu-se em grito Contra o meu próprio dar demasiado. ...
Tipo: Poesias


Soneto do Orfeu  ( Vinícius de Moraes )
São demais os perigos dessa vida Para quem tem paixão, principalmente Quando uma lua surge de repente E se deixa no céu, como esquecida E se ao luar, que atua desvairado Vem unir-se uma música qualquer Aí­ então é preciso ter cuidado Porque deve andar perto uma mulher Uma mulher que é feita de música ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 2 3 4...6Próxima >>





 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2018 Amo Poesias www.amopoesias.com