O que você procura?
 
#22986 Pesquisa por "" | 990 resultados em 165 páginas, em 0.05308 segundos





Os Poemas  ( Mário Quintana )
Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês. Quando fechas o livro, eles alçam ví´o como de um alçapão. Eles não têm pouso nem porto alimentam-se um instante em cada par de mãos e partem. E olhas, então, essas tuas mãos vazias, no maravilhado espanto de saberes que o alimen ...
Tipo: Poesias


Contrariedades  ( Cesário Verde )
Eu hoje estou cruel, frenético, exigente; Nem posso tolerar os livros mais bizarros. Incrível! Já fumei três maços de cigarros Consecutivamente. Dói-me a cabeça. Abafo uns desesperos mudos Tanta depravação nos usos, nos costumes! Amo, insensatamente, os ácidos, os gumes E os ângulos agudos. Sentei-me à secretári ...
Tipo: Poesias


Data e dedicatória  ( Mário Quintana )
Teus poemas, não os dates nunca Um poema Não pertence ao Tempo Em seu paí­s estranho Se existe hora, é sempre a hora extrema Quando o Anjo Azrael nos estende ao sedento Lábio o cálice inextinguí­vel O que tu fazes hoje é o mesmo poema Que fizeste em menino, í‰ o mesmo que, Depois que tu te fores, Alguém lerá baixi ...
Tipo: Poesias


Arte de amar  ( Thiago de Mello )
Não faço poemas como quem chora, nem faço versos como quem morre. Quem teve esse gosto foi o bardo Bandeira quando muito moço; achava que tinha os dias contados pela tí­sica e até se acanhava de namorar. Faço poemas como quem faz amor. í‰ a mesma luta suave e desvairada enquanto a rosa orvalhada se vai entreabr ...
Tipo: Poesias


O Sentimento dum Ocidental  ( Cesário Verde )
A Guerra Junqueiro I - AVE-MARIA Nas nossas ruas, ao noitecer, Há tal soturnidade, há tal melancolia, Que as sombras, o bulício, o Tejo, a maresia Despertam-me um desejo absurdo de sofrer. O céu parece baixo e de neblina, O gás estravassado enjoa-me, perturba; E os edifícios, com as chaminés, e a turba Toldam ...
Tipo: Poesias


Poema Pouco Original do Medo  ( Alexandre ONeill )
O medo vai ter tudo pernas ambulâncias e o luxo blindado de alguns automóveis Vai ter olhos onde ninguém o veja mãozinhas cautelosas enredos quase inocentes ouvidos não só nas paredes mas também no chão no teto no murmúrio dos esgotos e talvez até (cautela!) ouvidos nos teus ouvidos O medo vai ter tudo fantasma ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 2 3 4...165Próxima >>



mensagens porque brigamos amor   porque hoje domingo vinicius   saudade   sobre o desconhecido   poesias clarice lipector   poemas sobre mulher escritores famosos   vida   poesias   frases bom fim semana   poesias mensagens para pais   nao te amo mais   poesias infantis antigas   avo   poesias vinicius morais que fale rio janeiro   poesias luis vaz camoes   frases amor   carlos drumont andrade   frazes para filhos   frases bob marley   frases autores deconhecido   sinceridade   passargada   querer   poesias willian shakespeare sobre soliedariedade   poesias solidariedade   poesias sobre respeito   poesias clarice lispector   poesias sobre quem sou   poesias sobre o estudante   poesias que falam sobre personalidade   poesias preconceito   poesias guerra   poesias egipcias   poesias desconhecidas   poesias amor   


 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2016 Amo Poesias www.amopoesias.com