O que você procura?
 
#2214 Pesquisa por "" | 62 resultados em 11 páginas, em 0.03425 segundos





Vinho negro  ( Cruz e Souza )
O vinho negro do imortal pecado Envenenou nossas humanas veias Como fascinações de atras sereias E um inferno sinistro e perfumado. O sangue canta, o sol maravilhado Do nosso corpo, em ondas fartas, cheias. como que quer rasgar essas cadeias Em que a carne o retém acorrentado. E o sangue chama o vinho negro e ...
Tipo: Poesias


Canto V (Parte I)  ( Luís Vaz de Camões )
1 «Estas sentenças tais o velho honrado Vociferando estava, quando abrimos As asas ao sereno e sossegado Vento, e do porto amado nos partimos. E, como é já no mar costume usado, A vela desfraldando, o céu ferimos, Dizendo Boa viagem!; logo o vento Nos troncos fez o usado movimento. 2 «Entrava neste tempo o e ...
Tipo: Poesias


A Tempestade  ( Gonçalves Dias )
Um raio Fulgura No espaço Esparso, De luz; E trêmulo E puro Se aviva, S’esquiva Rutila, Seduz! Vem a aurora Pressurosa, Cor de rosa, Que se cora De carmim; A seus raios As estrelas, Que eram belas, Tem desmaios, Já por fim. O sol desponta Lá no horizonte, Doirando a fonte, E o prado e o monte E o ...
Tipo: Poesias


Canto X (Parte I)  ( Luís Vaz de Camões )
1 Mas já o claro amador da Larisseia Adúltera inclinava os animais Lá pera o grande lago que rodeia Temistitão, nos fins Ocidentais. O grande ardor do Sol, Favónio enfreia Co sopro que, nos tanques naturais, Encrespa a água serena, e despertava Os lí­rios e jasmins, que a calma agrava, 2 Quando as fermosas Nin ...
Tipo: Poesias


Confidência  ( Castro Alves )
Maldição sobre vós, doutores da lei! Maldição sobre vós, hipócritas! Assemelhais-vos aos sepulcros brancos por fora; o exterior parece formoso, mas o interior está cheio de ossos e podridão. Evang. de S. MATEUS, cap. XXII. Quando, Maria, vês de minha fronte Negra idéia voando no horizonte, as asas desdobrar, ...
Tipo: Poesias


Presa do ódio  ( Cruz e Souza )
Da tualma na funda galeria Descendo às vezes, eu às vezes sinto Que como o mais feroz lobo faminto Teu ódio baixo de alcatéia espia. Do Desespero a noite cava e fria, De boêmias vis o pérfido absinto Pôs no teu ser um negro labirinto, Desencadeou sinistra ventania. Desencadeou a ventania rouca, surda, tremen ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 2 3 4...11Próxima >>



negro   brincar   amante   ghandi   felicidade   segredo   amanda   estrelas   retrato   traicao   morte   luz   amigo   astro   obedincia   morena   amor   poema   familia   excelencia   feliz   vida   vitorias   cazuza   irmaos   poesias   justica   ansiedade   aniversario   ceara   leonina   amor   animais   frases   idosos   


 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2018 Amo Poesias www.amopoesias.com