O que você procura?
 
#1785 Pesquisa por "" | 15 resultados em 3 páginas, em 0.04042 segundos





Canto X (Parte II)  ( Luís Vaz de Camões )
51 «A nobre ilha também de Taprobana, Já pelo nome antigo tão famosa, Quanto agora soberba e soberana Pela cortiça cálida, cheirosa, Dela dará tributo í  Lusitana Bandeira, quando, excelsa e gloriosa, Vencendo, se erguerá na torre erguida, Em Columbo, dos próprios tão temida. 52 «Também Sequeira, as ondas Er ...
Tipo: Poesias


Canto X (Parte I)  ( Luís Vaz de Camões )
1 Mas já o claro amador da Larisseia Adúltera inclinava os animais Lá pera o grande lago que rodeia Temistitão, nos fins Ocidentais. O grande ardor do Sol, Favónio enfreia Co sopro que, nos tanques naturais, Encrespa a água serena, e despertava Os lí­rios e jasmins, que a calma agrava, 2 Quando as fermosas Nin ...
Tipo: Poesias


Canto IX (Parte I)  ( Luís Vaz de Camões )
1 Tiveram longamente na cidade, Sem vender-se, a fazenda os dous feitores, Que os Infiéis, por manha e falsidade, Fazem que não lha comprem mercadores; Que todo seu propósito e vontade Era deter ali os descobridores Da índia tanto tempo, que viessem De Meca as naus, que as suas desfizessem. 2 Lá no seio Eritr ...
Tipo: Poesias


Canto VIII (Parte II)  ( Luís Vaz de Camões )
51 Isto dito, ele e o sono se despede. Tremendo fica o atónito Agareno; Salta da cama, lume aos servos pede, Lavrando nele o férvido veneno. Tanto que a nova luz que ao Sol precede Mostrara o rosto angélico e sereno, Convoca os principais da torpe Seita, Aos quais do que sonhou dá conta estreita. 52 Diversos p ...
Tipo: Poesias


Canto II (Parte II)  ( Luís Vaz de Camões )
57 Já pelo ar o Cileneu voava; Com as asas nos pés í  Terra dece; Sua vara fatal na mão levava, Com que os olhos cansados adormece. Com esta, as tristes almas revocava Do Inferno, e o vento lhe obedece. Na cabeça o galero costumado. E destarte a Melinde foi chegado. 58 Consigo a Fama leva, por que diga Do Lusit ...
Tipo: Poesias


Improviso  ( Castro Alves )
(í€ mocidade acadêmica) Moços! A inépcia nos chamou de estúpidos! Moços! O crime nos cobriu de sangue! Vós os luzeiros do paí­s, erguei-vos! Perante a infí¢mia ninguém fica exangue Protesto santo se levanta agora, De mim, de vós, da multidão, do povo; Somos da classe da justiça e brio, Não há mais classe ante ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 23Próxima >>





 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2018 Amo Poesias www.amopoesias.com