O que você procura?
 
#1668 Pesquisa por "" | 15 resultados em 3 páginas, em 0.03107 segundos





Canto IV (Parte I)  ( Luís Vaz de Camões )
1 «Despois de procelosa tempestade, Nocturna sombra e sibilante vento, Traz a manhã serena, claridade, Esperança de porto e salvamento; Aparta o Sol a negra escuridade, Removendo o temor ao pensamento Assi no Reino forte aconteceu Despois que o Rei Fernando faleceu. 2 «Porque, se muito os nossos desejaram Que ...
Tipo: Poesias


A volta da mulher morena  ( Vinícius de Moraes )
Meus amigos, meus irmãos, cegai os olhos da mulher morena Que os olhos da mulher morena estão me envolvendo E estão me despertando de noite. Meus amigos, meus irmãos, cortai os lábios da mulher morena Eles são maduros e úmidos e inquietos E sabem tirar a volúpia de todos os frios. Meus amigos, me ...
Tipo: Poesias


AMOR  ( Clarice Lispector )
Um pouco cansada, com as compras deformando o novo saco de tricí´, Ana subiu no bonde. Depositou o volume no colo e o bonde começou a andar. Recostou-se então no banco procurando conforto, num suspiro de meia satisfação. Os filhos de Ana eram bons, uma coisa verdadeira e sumarenta. Cresciam, tomavam banho, exigiam para si, ...
Tipo: Poesias


Nordestino sim, Nordestinado não  ( Patativa do Assaré )
Nunca diga nordestino Que Deus lhe deu um destino Causador do padecer Nunca diga que é o pecado Que lhe deixa fracassado Sem condiçíµes de viver Não guarde no pensamento Que estamos no sofrimento í‰ pagando o que devemos A Providência Divina Não nos deu a triste sina De sofrer o que sofremos Deus ...
Tipo: Poesias


Flores Velhas  ( Cesário Verde )
Fui ontem visitar o jardinzinho agreste, Aonde tanta vez a lua nos beijou, E em tudo vi sorrir o amor que tu me deste, Soberba como um sol, serena como um vôo. Em tudo cintilava o límpido poema Com ósculos rimado às luzes dos planetas A abelha inda zumbia em torno da alfazema; E ondulava o matiz das leves borboletas. ...
Tipo: Poesias


Consideração do poema  ( Carlos Drummond de Andrade )
Não rimarei a palavra sono com a incorrespondente palavra outono. Rimarei com a palavra carne ou qualquer outra, que todas me convêm. As palavras não nascem amarradas, elas saltam, se beijam, se dissolvem, no céu livre por vezes um desenho, são puras, largas, autênticas, indevassáveis. Uma pedra no meio do caminho ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 23Próxima >>



irmaos   mensagens   sorriso   amigos   vida   poemas   idosos   depressao   desejo   incluso   anjo   aniversario   negro   brincar   amante   ghandi   felicidade   segredo   amanda   estrelas   retrato   traicao   morte   luz   amigo   astro   obedincia   morena   amor   poema   familia   excelencia   feliz   vida   vitorias   


 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2018 Amo Poesias www.amopoesias.com