O que você procura?
 
#513 Pesquisa por "" | 18 resultados em 3 páginas, em 0.06417 segundos





Clamando  ( Cruz e Souza )
Bárbaros vãos, dementes e terríveis Bonzos tremendos de ferrenho aspeto, Ah! deste ser todo o clarão secreto Jamais pôde inflamar-vos, Impassíveis! Tantas guerras bizarras e incoercíveis No tempo e tanto, tanto imenso afeto, São para vós menos que um verme e inseto Na corrente vital pouco sensíveis. No entanto ...
Tipo: Poesias


Canto IV (Parte I)  ( Luís Vaz de Camões )
1 «Despois de procelosa tempestade, Nocturna sombra e sibilante vento, Traz a manhã serena, claridade, Esperança de porto e salvamento; Aparta o Sol a negra escuridade, Removendo o temor ao pensamento Assi no Reino forte aconteceu Despois que o Rei Fernando faleceu. 2 «Porque, se muito os nossos desejaram Que ...
Tipo: Poesias


Canto II (Parte II)  ( Luís Vaz de Camões )
57 Já pelo ar o Cileneu voava; Com as asas nos pés í  Terra dece; Sua vara fatal na mão levava, Com que os olhos cansados adormece. Com esta, as tristes almas revocava Do Inferno, e o vento lhe obedece. Na cabeça o galero costumado. E destarte a Melinde foi chegado. 58 Consigo a Fama leva, por que diga Do Lusit ...
Tipo: Poesias


Grandeza oculta  ( Cruz e Souza )
Estes vão para as guerras inclementes, Os absurdos heróis sanguinolentos, Alvoroçados, tontos e sedentos Do clamor e dos ecos estridentes. Aqueles para os frívolos e ardentes Prazeres de acres inebriamentos Vinhos, mulheres, arrebatamentos De luxúrias carnais, impenitentes. Mas Tu, que na alma a imensidade fec ...
Tipo: Poesias


Sorriso interior  ( Cruz e Souza )
O ser que é ser e que jamais vacila Nas guerras imortais entra sem susto, Leva consigo esse brasão augusto Do grande amor, da nobre fé tranqüila. Os abismos carnais da triste argila Ele os vence sem ânsias e sem custo Fica sereno, num sorriso justo, Enquanto tudo em derredor oscila. Ondas interiores de grande ...
Tipo: Poesias


Clamor supremo  ( Cruz e Souza )
Vem comigo por estas cordilheiras! Põe teu manto e bordão e vem comigo, Atravessa as montanhas sobranceiras E nada temas do mortal Perigo! Sigamos para as guerras condoreiras! Vem, resoluto, que eu irei contigo Dentre as Águias e as chamas feiticeiras, Só ttendo a Natureza por abrigo. Rasga florestas, bebe o s ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 23Próxima >>





 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2017 Amo Poesias www.amopoesias.com