O que você procura?
 
#170 Pesquisa por "" | 6 resultados em 1 página, em 0.05809 segundos





Os Laços de Família  ( Clarice Lispector )
A mulher e a mãe acomodaram-se finalmente no táxi que as levaria í  Estação. A mãe contava e recontava as duas malas tentando convencer-se de que ambas estavam no carro. A filha, com seus olhos escuros, a que um ligeiro estrabismo dava um contí­nuo brilho de zombaria e frieza assistia. — Não esqueci de nada? perguntava p ...
Tipo: Poesias


A Débil  ( Cesário Verde )
Eu, que sou feio, sólido, leal, A ti, que és bela, frágil, assustada, Quero estimar-te sempre, recatada Numa existência honesta, de cristal. Sentado à mesa dum café devasso, Ao avistar-te, há pouco, fraca e loura, Nesta Babel tão velha e corruptora, Tive tenções de oferecer-te o braço. E, quando socorreste um mise ...
Tipo: Poesias


Na Estrada  ( Casimiro de Abreu )
Eu vi o pobre velho esfarrapado - Cabeça branca - sentado pensativo Dum carvalho ao pé; Esmolava na pedra dum caminho, Sem família, sem pão, sem lar, sem ninho, E rico só de fé! Era de tarde; ao toque do mosteiro Seu lábio a murmurar rezava baixo, - Ao lado o seu bordão; E o sol, no raio extremo, lhe dourava Sobre ...
Tipo: Poesias


No Lar  ( Casimiro de Abreu )
I Longe da pátria, sob um céu diverso Onde o sol como aqui tanto não arde, Chorei saudades do meu lar querido — Ave sem ninho que suspira à tarde. — No mar — de noite — solitário e triste Fitando os lumes que no céu tremiam, Ávido e louco nos meus sonhos d’alma Folguei nos campos que meus olhos viam. Era pátria ...
Tipo: Poesias


Última Folha  ( Casimiro de Abreu )
Meu Deus! Meu Pai! Se o filho da desgraça Tem jus um dia ao galardão remoto, Ouve estas preces e me cumpre o voto - A mim que bebo do absinto a taça! - Feliz serás se como eu sofreres, Dar-te-ei o céu em recompensa ao pranto - Vós o disseste - E eu padeço tanto! Que novos transes preparar me queres? Tudo me rouba ...
Tipo: Poesias


Romance XXI ou das idéias  ( Cecília Meireles )
A vastidão desses campos. A alta muralha das serras. As lavras inchadas de ouro. Os diamantes entre as pedras. Negros, í­ndios e mulatos. Almocrafes e gamelas. Os rios todos virados. Toda revirada, a terra. Capitães, governadores, padres intendentes, poetas. Carros, liteiras douradas, cavalos de crina aberta. ...
Tipo: Poesias







 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2018 Amo Poesias www.amopoesias.com