O que você procura?
 
#629 Pesquisa por "" | 89 resultados em 15 páginas, em 0.05249 segundos





A NOSSA CASA  ( Florbela Espanca )
A nossa casa, Amor, a nossa casa! Onde está ela, Amor, que não a vejo? Na minha doida fantasia em brasa Constrói-a, num instante, o meu desejo! Onde está ela, Amor, a nossa casa, O bem que neste mundo mais invejo? O brando ninho aonde o nosso beijo Será mais puro e doce que uma asa? Sonho que ...
Tipo: Poesias


A casa  ( Vinícius de Moraes )
Era uma casa Muito engraçada Não tinha teto Não tinha nada Ninguém podia Entrar nela não Porque na casa Não tinha chão Ninguém podia Dormir na rede Porque na casa Não tinha parede Ninguém podia Fazer pipi Porque penico Não tinha ali Mas era feita Com muito esmero Na Rua do ...
Tipo: Poesias


Enfermidades em minha casa  ( Pablo Neruda )
Estou cansado de uma gota, estou ferido em somente uma pétala, e por um agulheiro de alfinete sobe um rio de sangue sem consolo, e me afogo nas águas do sereno que se apodrece na sombra, e por um sorriso que não cresce, por uma boca doce, por uns dedos que o rosal quisera escrevo este poema que ...
Tipo: Poesias


Plutão  ( Olavo Bilac )
Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a alegria da casa O corajoso Plutão. Fortí­ssimo, ágil no salto, Era o terror dos caminhos, E duas vezes mais alto Do que o seu dono Carlinhos. Jamais í  casa chegara Nem a sombra de um ladrão; Pois fazia medo a cara Do destemido Plutão. Dormia durant ...
Tipo: Poesias


AMOR  ( Clarice Lispector )
Um pouco cansada, com as compras deformando o novo saco de tricí´, Ana subiu no bonde. Depositou o volume no colo e o bonde começou a andar. Recostou-se então no banco procurando conforto, num suspiro de meia satisfação. Os filhos de Ana eram bons, uma coisa verdadeira e sumarenta. Cresciam, tomavam banho, exigiam para si, ...
Tipo: Poesias


Canto VIII (Parte I)  ( Luís Vaz de Camões )
1 Na primeira figura se detinha O Catual, que vira estar pintada, Que por divisa um ramo na mão tinha, A barba branca, longa e penteada. Quem era e por que causa lhe convinha A divisa que tem na mão tomada? Paulo responde, cuja voz discreta O Mauritano sábio lhe interpreta 2 «Estas figuras todas que aparecem, ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 2 3 4...15Próxima >>





 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2019 Amo Poesias www.amopoesias.com