O que você procura?
 
#2308 Pesquisa por "" | 103 resultados em 18 páginas, em 0.05001 segundos





Frígida  ( Cesário Verde )
I Balzac é meu rival, minha senhora inglesa! Eu quero-a porque odeio as carnações redondas! Mas ele eternizou-lhe a singular beleza E eu turbo-me ao deter seus olhos cor das ondas. II Admiro-a. A sua longa e plácida estatura Expõe a majestade austera dos invernos. Não cora no seu todo a tímida candura; Dançam a ...
Tipo: Poesias


Em Sonhos  ( Cruz e Souza )
Nos Santos óleos do luar, floria Teu corpo ideal, com o resplendor da Helade E em toda a etérea, branda claridade Como que erravam fluidos de harmonia As Águias imortais da Fantasia Deram-te as asas e a serenidade Para galgar, subir a Imensidade Onde o clarão de tantos sóis radia. Do espaço pelos límpidos velino ...
Tipo: Poesias


CANTO DA ONIPOTÊNCIA  ( Augusto dos Anjos )
Cloto, Átropos, Tifon, Laquesis, Siva E acima deles, como um astro, arder, Na hiperculminação definitiva O meu supremo e extraordinário Ser! Em minha sobre-humana retentiva Brilhavam, como a luz do amanhecer, A perfeição virtual tornada viva E o embrião do que podia acontecer! Por antecipação divinatória, Eu, pr ...
Tipo: Poesias


VIAGEM DE UM VENCIDO  ( Augusto dos Anjos )
Noite. Cruzes na estrada. Aves com frio E enquanto eu tropeçava sobre os paus, A efígie apocalíptica do Caos Dançava no meu cérebro sombrio! O Céu estava horrivelmente preto E as árvores magríssimas lembravam Pontos de admiração que se admiravam De ver passar ali meu esqueleto! Sozinho, uivando hoffmânnicos dizer ...
Tipo: Poesias


Ilusão  ( Casimiro de Abreu )
Quando o astro do dia desmaia Só brilhando com pálido lume, E que a onda que brinca na praia No murmúrio soletra um queixume; Quando a brisa da tarde respira O perfume das rosas do prado, E que a fonte do vale suspira Como o nauta da pátria afastado; Quando o bronze da torre da aldeia Seus gemidos aos ecos envia ...
Tipo: Poesias


Dalila  ( Castro Alves )
Fair defect of nature. Milton (Paradise Lost) Foi desgraça, meu Deus! Não! Foi loucura Pedir seiba de vida — í  sepultura, Em gelo — me abrasar, Pedir amores — a Marco sem brio, E a rebolcar-me em leito imundo e frio — Aventura buscar. Errado viajor — sentei-me í  alfombra E adormeci da mancenilha ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 2 3 4...18Próxima >>





 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2018 Amo Poesias www.amopoesias.com