O que você procura?
 
#547 Pesquisa por "" | 75 resultados em 13 páginas, em 0.02932 segundos





A Grande Sede  ( Cruz e Souza )
Se tesn sede de Paz e dEsperança, Se estás cego de Dor e de Pecado, Valha-te o Amor, ó grande abandonado, Sacia a sede com amor, descansa. Ah! volta-te a esta zona fresca e mansa Do Amor e ficarás desafogado, Hás de ver tudo claro, iluminado Da luz que uma alma que tem fé alcança. O coração que é puro e que é ...
Tipo: Poesias


A Perfeição  ( Cruz e Souza )
A Perfeição é a celeste ciência Da cristalização de almos encantos, De abandonar os mórbidos quebrantos E viver de uma oculta florescência. Nossalma fica da clarividência Dos astros e dos anjos e dos santos, Fica lavada na lustral dos prantos, É dos prantos divina e pura essência. Nossalma fica como o ser que ...
Tipo: Poesias


O Coração  ( Cruz e Souza )
O coração é a sagrada pira Onde o mistério do sentir flameja. A vida da emoção ele a deseja como a harmonia as cordas de uma lira. Um anjo meigo e cândido suspira No coração e o purifica e beija E o que ele, o coração, aspira, almeja É o sonho que de lágrimas delira. É sempre sonho e também é piedade, Doçur ...
Tipo: Poesias


Silêncios  ( Cruz e Souza )
Largos Silêncios interpretativos, Adoçados por funda nostalgia, Balada de consolo e simpatia Que os sentimentos meus torna cativos. Harmonia de doces lenitivos, Sombra, segredo, lágrima, harmonia Da alma serena, da alma fugidia Nos seus vagos espasmos sugestivos. Ó Silêncios! ó cândidos desmaios, Vácuos fecu ...
Tipo: Poesias


Grande Amor  ( Cruz e Souza )
Grande amor, grande amor, grande mistério Que as nossas almas trêmulas enlaça Céu que nos beija, céu que nos abraça Num abismo de luz profundo e sério. Eterno espasmo de um desejo etéreo E bálsamo dos bálsamos da graça, Chama secreta que nas almas passa E deixa nelas um clarão sidéreo. Cântico de anjos e de a ...
Tipo: Poesias


Flores Velhas  ( Cesário Verde )
Fui ontem visitar o jardinzinho agreste, Aonde tanta vez a lua nos beijou, E em tudo vi sorrir o amor que tu me deste, Soberba como um sol, serena como um vôo. Em tudo cintilava o límpido poema Com ósculos rimado às luzes dos planetas A abelha inda zumbia em torno da alfazema; E ondulava o matiz das leves borboletas. ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 2 3 4...13Próxima >>



anjos   byron   vaquejada   poemas   falar   vinganca   vida   veterinario   verdade   uniao   turismologo   tentar   soneto   solidariedade   poesias   poesias   poesia   planetas   pensamentos   paixoes   pai   orgulho   mulher   mestre   mentira   mensagens   medo   lua   irmaos   inveja   independencia   idoso   guerra   gratis   ghandi   


 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2018 Amo Poesias www.amopoesias.com