O que você procura?
 
#1410 Pesquisa por "" | 24 resultados em 4 páginas, em 0.02578 segundos





O dia da criação  ( Vinícius de Moraes )
Macho e fêmea os criou. Gênese, 1, 27 I Hoje é sábado, amanhã é domingo A vida vem em ondas, como o mar Os bondes andam em cima dos trilhos E Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na cruz para nos salvar. Hoje é sábado, amanhã é domingo Não há nada como o tempo para passar Foi muita bondade de Nosso Senhor Jes ...
Tipo: Poesias


Canto IX (Parte II)  ( Luís Vaz de Camões )
51 Cortando vão as naus a larga via Do mar ingente pera a pátria amada, Desejando prover-se de água fria Pera a grande viagem prolongada, Quando, juntas, com súbita alegria, Houveram vista da Ilha namorada, Rompendo pelo céu a mãe fermosa De Menónio, suave e deleitosa. 52 De longe a Ilha viram, fresca e bela, ...
Tipo: Poesias


Noturno  ( Cecília Meireles )
Quem tem coragem de perguntar, na noite imensa? E que valem as árvores, as casas, a chuva, o pequeno transeunte? Que vale o pensamento humano, esforçado e vencido, na turbulência das horas? Que valem a conversa apenas murmurada, a erma ternura, os delicados adeuses? Que valem as pálpebras da tí­mida espe ...
Tipo: Poesias


Cristalizações  ( Cesário Verde )
A Bettencourt Rodrigues Faz frio. Mas, depois duns dias de aguaceiros, Vibra uma imensa claridade crua. De cócoras, em linha os calceteiros, Com lentidão, terrosos e grosseiros, Calçam de lado a lado a longa rua, Como as elevações secaram do relento, E o descoberto Sol abafa e cria! A frialidade exige o movi ...
Tipo: Poesias


Em Petiz  ( Cesário Verde )
EM PETIZ I – DE TARDE Mais morta do que viva, a minha companheira Nem força teve em si para soltar um grito; E eu, nesse tempo, um destro e bravo rapazito, Como um homenzarrão servi-lhe de barreira! Em meio de arvoredo, azenhas e ruínas, Pulavam para a fonte as bezerrinhas brancas; E, tetas a abanar, as mães, de ...
Tipo: Poesias


As doces cantilenas que cantavam os semicapros deuses, amadores das Napeias, que os montes habitavam, cantando escreverei; que, se os amores aos silvestres deuses maltrataram, já ficam desculpados os pastores. Vós, Senhor Dom António, aonde acharam o claro Apolo e Marte um ser perfeito, em que suas altas men ...
Tipo: Poesias



<< Anterior 1 2 34Próxima >>





 


Home | Política de Privacidade | Termos de Uso |    Copyright ©2018 Amo Poesias www.amopoesias.com